Blog

NOTÍCIAS

Dólar opera em alta à espera de dados econômicos dos EUA; Ibovespa cai


No dia anterior, a moeda norte-americana caiu 0,97%, cotada a R$ 4,9329. Já o principal índice de ações da bolsa de valores brasileira encerrou em alta de 1,61%, aos 131.689 pontos, no maior patamar desde 8 de janeiro. Painel mostra variação de mercado na B3, em São Paulo. Amanda Perobelli/Reuters O dólar opera em alta nesta quarta-feira (28), à espera da divulgação de novos dados econômicos nos Estados Unidos, com destaque para o Produto Interno Bruto (PIB) do último trimestre de 2023 e o indicador de inflação PCE de janeiro. Já o Ibovespa, principal índice acionário da bolsa de valores brasileira, a B3, abriu em queda. Veja abaixo o resumo dos mercados. Dólar Às 10h15, o dólar subia 0,30%, cotado a R$ 4,9476. Veja mais cotações. Na véspera, a moeda norte-americana teve queda de 0,97%, cotado a R$ 4,9329. Com o resultado, acumulou: queda de 1,19% na semana; alta de 0,09% no mês; avanço de 1,66% no ano. Ibovespa No mesmo horário, o Ibovespa caía 0,32%, aos 131.274 pontos. Na véspera, o índice teve alta de 1,61%, aos 131.689 pontos, no maior patamar desde 8 de janeiro, quando atingiu os 132.427 pontos. Com o resultado, acumulou: avanço de 1,75% na semana; alta de 3,08% no mês; recuo de 1,86% no ano. LEIA TAMBÉM DINHEIRO OU CARTÃO? Qual a melhor forma de levar dólares em viagens? DÓLAR: Qual o melhor momento para comprar a moeda? Entenda o que faz o dólar subir ou descer O que está mexendo com os mercados? O mercado segue aguardando dados econômicos importantes que serão divulgados ao longo da semana. O principal é o núcleo de preços PCE de janeiro, nos Estados Unidos, programado para quinta-feira (29). Essa leitura virá depois que, recentemente, dados mostraram sinais de resiliência da atividade e da inflação na maior economia do mundo, levando os mercados a adiarem apostas sobre o início do afrouxamento monetário nos EUA.

Ler Mais
Gol e Latam cancelam voos para Buenos Aires por conta de greve na Argentina; veja o que fazer


Paralisação foi convocada por três centrais sindicais e associações de classe, que rejeitaram o aumento salarial de 12% para empregados da companhia aérea Aerolíneas Argentinas e para a empresa de operações Intercargo. Aviões da Gol e da Latam em Congonhas, São Paulo. Montagem/g1 A Gol Linhas Aéreas e a Latam Airlines cancelaram os voos desta quarta-feira (28) de e para Buenos Aires em virtude de uma greve de funcionários do setor aéreo na Argentina. A paralisação foi convocada por três centrais sindicais e associações de classe, que rejeitaram o aumento salarial de 12% para empregados da companhia aérea Aerolíneas Argentinas e para a empresa de operações Intercargo. Segundo o jornal La Nación, a parada pode afetar 45 mil passageiros no Aeroporto Internacional Jorge Newbery e outros 30 mil no Aeroporto Internacional de Ezeiza. A Aerolineas Argentinas disse ao jornal que nenhum voo será afetado e que procuram chegar a um acordo com os sindicatos. Veja o que dizem as companhias aéreas: ➡️O QUE DIZ A LATAM: Em nota, a empresa informa que, devido à confirmação da greve da Intercargo para o dia 28 de fevereiro, a companhia cancelou suas operações de e para a Argentina para essa data. "A Intercargo é uma empresa estatal que presta serviços de rampa na Argentina, responsável pela transferência de passageiros e suas bagagens das estações das companhias aéreas para as aeronaves e vice-versa, entre outras tarefas", diz. A empresa diz que há dois caminhos aos passageiros afetados, disponíveis pelo menu Minhas Viagens: Alterações de data/voo: Todos os passageiros que desejarem alterar a data/voo sem custo (podendo ser ida e volta simultaneamente) podem fazê-lo para até 1 ano a partir do primeiro voo, respeitando a origem e o destino do itinerário. Reembolsos: os reembolsos se aplicam sem ônus e para todos os cupons de bilhetes não utilizados. ➡️O QUE DIZ A GOL: Em nota, a empresa informa que cancelou todos os seus voos com destino ou origem na Argentina nesta quarta-feira, 28 de fevereiro. A ação se deve à greve anunciada para esta data pela Intercargo, responsável pela infraestrutura em terra nos aeroportos argentinos. "A paralisação afetará a operação aeroportuária nas cidades em que a Companhia tem voos agendados para esta data (Buenos Aires – AEP e EZE, Córdoba-COR e Rosário-ROS), impossibilitando a realização das operações", diz a Gol. Alterações de data/voo: todos os clientes terão seus voos remarcados para outras datas e poderão realizar a alteração sem custos, de acordo com a vontade de cada passageiro. "Clientes com bilhetes marcados para esta data estão recebendo comunicação via e-mail e SMS, de acordo com os dados informados no ato da compra, já podendo realizar a autogestão de seus bilhetes nos Canais Digitais da GOL", diz a empresa. Para atender os clientes afetados, a Gol também criou operações extras para o dia 29 de fevereiro: Em caso de dúvidas, o Cliente pode entrar em contato com a Central de Relacionamento pelo 0300 115 2121. Para compras com milhas, o Cliente deve procurar diretamente a Smiles pelo telefone 0300 115 7001 (Smiles ou Prata), ou 0300 115 7007 (Ouro Diamante). Para clientes na Argentina, o número de contato é o +55 11 3471 2973, com atendimento em espanhol das 8h às 20h. Clientes que adquiriram bilhetes por agências de viagem devem procurar diretamente seus representantes. Companhias aéreas enfrentam falta de peças para manutenção de aviões

Ler Mais
Pode lavar o ovo? Frango tem hormônio? Faça o teste e descubra mitos e verdades sobre os alimentos


Dê o play no quiz e veja curiosidades sobre frutas, carnes e laticínios. Imagem de uma prateleira de geladeira com alimentos. Polina Tankilevitch/Pexels É verdade que não pode comer o miolo do abacaxi? E o leite, pode ser consumido por adultos? Será que é recomendável lavar os ovos antes de cozinhá-los? ❓O que não faltam são dúvidas sobre a forma adequada de preparar, armazenar e consumir os alimentos no dia a dia. Será que você sabe as respostas dessas e de outras perguntas? Faça o quiz sobre os alimentos a seguir. Saiba o que é mito e o que é verdade dos alimentos Mais sobre os alimentos... Carne vermelha apodrece no intestino? Saiba o que é real e o que é falso sobre o alimento 🎧OUÇA o podcast semanal 'De onde vem o que eu como' De onde vem o que eu como: Ovos De onde vem o sorvete Água de coco não é tudo igual: veja quais tipos podem ser comercializados no Brasil

Ler Mais
Mega-Sena, concurso 2.693: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio acumula em R$ 135 milhões


Veja as dezenas sorteadas: 11 - 29 - 44 - 45 - 46 - 50. A quina teve 117 apostas vencedoras que ganharam mais de R$ 55 mil cada. Mega-Sena Marcelo Brandt/G1 Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.693 da Mega-Sena, que foi realizado nesta terça-feira (27) em São Paulo. O prêmio acumulou e para o sorteio de quinta-feira (29), o valor para apostas vencedoras é de R$ 135 milhões, o maior do ano. Veja as dezenas sorteadas: 11 - 29 - 44 - 45 - 46 - 50 5 acertos - 117 apostas ganhadoras, R$ 55.729,62; 4 acertos - 6.988 apostas ganhadoras, R$ 1.332,97. Números da Mega-Sena, concurso 2693 Divulgação/Caixa Entenda como funciona a Mega-Sena e qual a probabilidade de ganhar o prêmio Para apostar na Mega-Sena As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito. Probabilidades A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, que custa R$ 5, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 22.522,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Ler Mais
Em busca de acordo, governo adia por mais 90 dias entrada em vigor de portaria que restringe trabalho aos feriados


Este é o segundo adiamento da portaria sobre trabalho no comércio aos feriados. Publicação da medida no fim de 2023 provocou forte reação de empresários e do Congresso. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, em imagem de 2023 Geraldo Magela/Agência Senado O ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, afirmou nesta terça-feira (27) que o governo decidiu adiar por mais 90 dias a entrada em vigor de uma portaria que restringe o trabalho no comércio aos feriados. Com isso, as regras que passariam a valer na próxima sexta-feira (1º) ficam suspensas até junho. Enquanto isso, o Ministério do Trabalho tenta costurar um acordo com empregados e donos de comércio sobre o tema. Este é o segundo adiamento da portaria (leia mais aqui). “Nós temos certeza de que as partes chegarão a um texto que contemplará o funcionamento do nosso comércio na sua plenitude, respeitando sempre o direito às negociações, o direito dos empregados e protegendo cada trabalhador”, disse Luiz Marinho, em nota. A decisão de adiar a norma foi tomada em reunião com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, representantes sindicais e das frentes parlamentares do Comércio e Serviços e do Empreendedorismo. O governo havia anunciado que publicaria uma nova portaria para estabelecer uma lista de comércios que poderiam funcionar nos feriados, sem a necessidade de autorização em acordo coletivo de trabalho. “Há um entendimento entre as bancadas de trabalhadores e empregadores que será encaminhado ao governo em portaria, [...] de quais atividades que estão excepcionalizadas e quais atividades que têm a obrigatoriedade de ter convenção coletiva para funcionar aos feriados”, disse o ministro na ocasião. Governo estabelece que trabalho aos domingos e feriados só poderá acontecer após negociação com sindicatos Portaria polêmica Em novembro do ano passado, o governo publicou uma portaria restringindo o funcionamento do comércio aos feriados. A portaria, divulgada no Diário Oficial da União (DOU) em 13 de novembro de 2023, foi uma tentativa, segundo o ministro Luiz Marinho, de invalidar "uma portaria inconstitucional assinada em 2021", que tornava o trabalho aos feriados isento de aprovação dos sindicatos. De acordo com a Lei 10.101/2000, que regulamenta o comércio, o trabalho aos feriados é permitido desde que seja “autorizado em convenção coletiva de trabalho e observada a legislação municipal”. A nova regra, restringindo o trabalho aos feriados, entraria em vigor a partir de 1° de janeiro de 2024, mas, antes disso, foi alvo de polêmica por parte de setores da economia e de parlamentares. Logo após a edição da portaria em novembro, a Câmara dos Deputados aprovou em plenário a urgência de um projeto de lei que barrasse a medida assinada pelo Ministério do Trabalho. A justificativa usado pelo relator do projeto, Luiz Gastão (PSD-CE), foi de que a proibição do trabalho aos feriados interferiria diretamente na manutenção de empregos e na arrecadação de impostos, essenciais para o financiamento de políticas públicas. No dia seguinte à reação, em 22 de novembro, Marinho se reuniu com representantes dos setores trabalhistas e optou por reformular a portaria e publicar um novo texto até março de 2024. Durante essa reunião também ficou acordado que o ministério iria criar uma mesa tripartite para discutir o assunto.

Ler Mais
Ministro quer facilitar consignado privado e acabar com saque-aniversário do FGTS


Ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse que já tem sinal verde do presidente Lula para enviar ao Congresso Nacional projeto de lei ou medida provisória tratando do tema. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, afirmou nesta terça-feira (27) que quer facilitar a contratação de empréstimos consignados privados, reduzindo a intermediação. Governo pretende acabar com a modalidade saque-aniversário do FGTS Em entrevista coletiva, Marinho afirmou que será proposta uma ferramenta, por meio do FGTS Digital, lançado nesta terça-feira (veja mais abaixo), que possibilitará a concessão de empréstimos consignado (com desconto em folha) pelos bancos, sem intermediação das empresas contratantes. "Vai criar o consignado do setor privado, que hoje inexiste. Hoje, o consignado poderia estar existindo se as empresas tivessem feito convênio com os bancos. Não fizeram, então não tem como fazer. Nós, a partir da ferramenta do eSocial e do FGTS Digital, criaremos uma rubrica para possibilitar ao trabalhador que possa tomar esse empréstimo sem intermediação do empregador", explicou o ministro do Trabalho. De acordo com ele, a nova ferramenta administrará toda relação com os bancos, com o trabalhador e com o empregador. "Quando a empresa receber lá, você tem que descontar X reais do fundo de garantia, terá uma rubrica. O FGTS não entra como garantia", acrescentou. Apesar das declarações do ministro, dados do Banco Central apontam que, em dezembro do ano passado, o volume total de empréstimos consignados (com desconto em folha de pagamentos) para trabalhadores do setor privado somou R$ 41,3 bilhões. Esse estoque, entretanto, é bem menor do que o valor liberado a aposentados do INSS, que somava R$ 238,9 bilhões no fim de 2023. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, quer estimular empréstimos consignados privados Fim do saque-aniversário O ministro também reafirmou a intenção de acabar com o saque-aniversário do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O saque-aniversário, instituído em 2020 pelo governo Bolsonaro, permite ao trabalhador sacar parte do saldo da conta do FGTS anualmente, no mês do seu aniversário. Por outro lado, caso o trabalhador seja demitido, pode sacar apenas o valor referente à multa rescisória, não podendo sacar o valor integral da conta. Este é um dos pontos criticados por Luiz Marinho. Aplicativo FGTS para celular Rodrigo Marinho/g1 Para acabar com o saque-aniversário do FGTS, Marinho disse que está sendo finalizado um projeto de lei -- que também pode ser uma medida provisória -- para ser enviado ao Congresso Nacional. Marinho afirmou que já tem autorização do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para levar adiante a proposta, dependendo apenas do encaminhamento de outros ministérios. FGTS: saiba mais sobre o saque-aniversário Segundo o ministro, há reclamações de trabalhadores que aderiram ao saque aniversário do FGTS e que não conseguem mais sacar os recursos quando são demitidos. "Se o FGTS tem na sua essência, entre as funções, trazer a proteção no futuro do desemprego, o cidadão que aderiu o saque aniversário não pode sacar o seu saldo. Sendo que o FGTS foi pensado no caso de desemprego", criticou o ministro do Trabalho. Para liberar mais dinheiro aos trabalhadores, o ministro do Trabalho informou que o projeto vai tratar de mudanças no formato do consignado ao setor privado e liberar recursos não dados como garantia aos empréstimos bancários. Liberação de recursos Para que o trabalhador possa ter dinheiro no momento de uma eventual demissão, ele defendeu que os recursos não dados em garantia a empréstimos bancários também possam ser liberados. "O cidadão tem um contrato com o banco. Se ele fez o contrato em dez anos, será honrado em dez anos. Se ele fez em três anos, será honrado em três anos (...) O cidadão que está reclamando o direito de sacar o seu saldo. Vamos imaginar que ele tenha R$ 20 mil. Desses R$ 20 mil, consignou R$ 15 mil. Deve R$ 15 mil ao banco. Ele vai sacar o que é seu, os R$ 5 mil. Os outros ficarão para honrar o contrato", explicou o ministro do Trabalho. FGTS digital O governo federal também lançou nesta terça-feira uma nova forma de recolhimento do FGTS, chamado de FGTS digital. Segundo o Ministério do Trabalho, o novo método vai facilitar e simplificar a vida dos empregadores, utilizando informações do eSocial como base de dados, interface 100% web e diversas opções para gerar guias. O novo formato, segundo o governo, permitirá: Maior facilidade para emissão e personalização de guias; Mais agilidade no processo de individualização (depósitos dos valores recolhidos nas contas vinculadas dos trabalhadores); Celeridade no pagamento de FGTS em atraso, com a possibilidade de recolhimento de vários meses em uma única guia; Cálculo automático da multa do FGTS com base no histórico de remunerações do eSocial; Ferramenta automática para recomposição de salários de períodos anteriores e pagamento da indenização compensatória. "Além disso, a utilização do Pix (mecanismo de pagamento instantâneo) como ferramenta de pagamento do FGTS irá trazer ganhos de confiabilidade, agilidade e facilidade, otimizando o processo de individualização na conta do trabalhado", informou o governo.

Ler Mais