A COVID vai passar, mas você tem que continuar.
Blog, Conceitos de Gestão, Dicas de Empreendedor

Não resta dúvida de que essa é a pior crise que nossa geração já viveu. Se não bastasse o receio de ser ou ter algum parente, amigo ou colaborador contaminado, ainda houve a paralização da economia que custou a saúde e a vida de milhares empresas e o emprego de milhões de pessoas. Mas a história mostra que as crises passam, e a COVID vai passar.

Aliás, já está passando. Na verdade, muitas empresas, mesmo do setor de ferro e aço, foram beneficiadas ou nem sofreram efeitos do que aconteceu de março para cá. O que fazer, então, para enfrentar essa situação e implementar processos que ajudem sua empresa a passar por esse momento e sair dele mais forte?

Embora não haja uma fórmula mágica, a verdade é que antigas práticas muitas vezes ignoradas são a resposta para todas as situações, inclusive esta. Basta voltarmos à cartilha e fazermos direito tudo aquilo que a correria nos obriga a deixar para depois. As tarefas sugeridas abaixo, que estão sendo observadas em algumas empresas do ferro e aço, certamente podem ajudar você também.

1 – Faça Prospecções e Follow ups.

Sim! Muitos clientes continuaram comprando normalmente durante o isolamento e as empresas que continuaram procurando estes clientes venderam muito! Nesse caso, os vendedores foram incentivados a manter uma rotina de prospecção de novos clientes e contatos com clientes da carteira para “empurrar” vendas ao invés de simplesmente “esperar” que eles viessem. Assim, quem está prospectando está vendendo e, acredite, alguns estão vendendo até mais do que antes da crise.

2 – Incentive seu vendedor e dê a ele ferramentas de trabalho.

Se o vendedor tem ferramentas adequadas e sabe que vai ganhar mais quando a qualidade da venda é maior, é claro que vai produzir mais. Então, por que não verificar se sua equipe de vendas tem as ferramentas mais adequadas e faz o melhor uso delas? Já pensou em comissionar o seu vendedor pela qualidade da venda, considerando coisas como mark-up obtido, prazo de pagamento concedido, atingimento de metas, etc.?

3 – Estabeleça Metas.

Tem um ditado que diz que “para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”. Isso também é verdade na hora de vender durante uma crise. Alguns empresários resolveram ignorar as predições de que a economia iria despencar. Eles mantiveram suas metas mais ambiciosas, apresentaram essas metas à sua equipe, se prepararam, e estão se dando muito bem. Certamente, quem não fez isso, está “andando por qualquer caminho”, e não tem ideia de para onde vai.

Para tanto, você precisa de um ERP que o ajude a estabelecer e acompanhar o grau de atingimento dessas metas. E que também é muito importante, premiar sua equipe melo atingimento delas.

4 – Acompanhe e Controle seus Custos.

Como quem acaba definindo os preços é o mercado, então a você caberá controlar os custos. Além de boas ferramentas de T.I. você precisa de uma equipe que faça os lançamentos corretamente e de um gestor que saiba gastar. Além dos custos de reposição da mercadoria, você precisa ter um excelente controle das despesas, custos da folha de pagamento, etc. Para tanto, analise seus relatórios de resultados todos os dias. Acompanhe seu fluxo de caixa. Evite a armadilha de dar mais prazo de pagamento a seus clientes do que você recebe de seus fornecedores e, se não tiver outro jeito, então saiba compensar isso. Se você não tem um ERP com ferramentas que lhe dão essa visão, fale conosco.

Você tem as ferramentas certas?

A verdade é que sem as ferramentas certas fazer tudo isso fica muito mais difícil. Assim, se quiser ajuda, podemos orientá-lo. E se você já é nosso cliente e não está fazendo nada disso, também podemos ajudá-lo com treinamentos e orientações.

Portanto, não deixe a crise destruir seu negócio, muitas vezes trabalho de gerações de sua família ou de anos de sua vida. Lembre-se, a COVID vai passar e, quando passar, você e sua empresa precisam estar lá. E nós já estamos aqui para ajudar você.

NOTÍCIAS

Projeto da Embrapa pode levar tratamento de esgoto de baixo custo para zona rural

Sistema de fossa comunitária gera água que pode ser usada em plantações. Apenas 4% das propriedades rurais são atendidas pela rede de esgoto no Brasil. Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), desenvolveram um modelo de estação de tratamento de esgoto para atender as comunidades rurais. O sistema é de baixo custo e pode levar o saneamento básico para as regiões em que isso ainda não existe. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Além da população rural mais isolada, o projeto visa também os povos tradicionais, como indígenas e quilombolas, com uma estimativa de público em cerca de 500 habitantes por estação. Assim, apenas uma unidade seria capaz de tratar o esgoto de uma comunidade inteira. A maior parte das propriedades rurais do Brasil sofre com este problema. Apenas 4% delas são atendidas pela rede de esgoto. Das restantes, 16% despejam os dejetos diretamente em rios e lagos e os outros 16% têm a fossa séptica, que é uma unidade doméstica de tratamento que filtra resíduos antes que retornem à natureza. Sobram ainda 64% das propriedades, que usam a fossa negra, na qual os dejetos podem entrar em contato com o solo, sendo um risco para o meio ambiente e para a saúde das pessoas, que podem contrair cólera, hepatite, diarreia, entre outros. Fossa mais barata A Embrapa desenvolveu uma alternativa à fossa séptica, que resolve também uma das principais dificuldades relatadas pelos entrevistados: o preço. Segundo o engenheiro ambiental, Carlos Eduardo Pacheco, que participou do projeto, o custo fica em torno de R$ 60 e R$ 80 mil. "Ela (a fossa) é de fácil instalação, então é possível fazer a instalação por meio de mutirões na comunidade, o que reduziria bastante o custo", explica. O projeto piloto está em funcionamento na Embrapa Hortaliças, na cidade de Samambaia, no Distrito Federal. Para funcionar, o sistema tem que ser instalado na parte mais baixa do terreno, para que a gravidade transporte os dejetos das casas até a estação. O restante do processo é feito em 4 etapas: esgoto bruto dos banheiros e cozinha passa por 3 tanques de limpeza que retêm a gordura e materiais sólidos maiores, como papel higiênico; tratamento biológico, onde micro-organismos presentes no próprio esgoto efetuam a decomposição da matéria orgânica, como fezes e urina; filtração, ocorre por meio de barreiras de água, areia e brita, para aumentar a eficiência da retirada de materiais sólidos e micro-organismos, como vermes; uso de cloro de piscina ou de poço artesiano para obter o resultado final da água tratada. O que fazer com a água tratada? Além de diminuir os malefícios à saúde e ao meio ambiente, os pesquisadores demonstram que a água tratada também pode ser útil na produção de alimentos. O sistema foi testado em uma plantação de alfaces, onde a água foi usada em irrigação por gotejamento, assim ela não entra em contato direto com as folhas. Foram geradas hortaliças verdes, grandes e com folhas bem formadas, relataram os pesquisadores. Para garantir a segurança do consumidor, a água usada na irrigação é testada em laboratório, para verificar a presença de coliformes, ou seja, se há ou não resíduos de fezes nela. Até o momento, todas as amostras deram negativo para salmonela, outros tipos de contaminação tiveram parâmetros dentro do permitido pela legislação brasileira, portanto sem risco à saúde. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: Globo Rural

Ler Mais
Preço do ovo sobe 14% em abril

Alta é impulsionada por ração e embalagem mais caras. Produtores recorrem à exportação para aumentar o lucro. Preço do ovo sobe 14% em abril O preço do ovo subiu 14% em abril por causa da alta dos custos na ração das galinhas. Para aumentar o lucro, produtores recorrem à exportação. Assista a todos os vídeos do Globo Rural O aumento no preço do ovo ocorre principalmente por causa da elevação do preço da ração, a soja, que no mesmo período do ano passado era vendida por R$ 95, hoje ultrapassa os R$ 170. Já o preço do milho dobrou em um ano. E não é apenas a ração que ficou cara, as embalagens também, com uma alta de 70%. Juntamente aos preços, as exportações brasileiras também cresceram. De janeiro a abril, o aumento foi de 162% na comparação com o mesmo período de 2020. O motivo principal é a valorização do dólar em relação ao real, que dá mais uma motivação aos produtores. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Aplicativo do Senar traz compilado de cartilhas para quem trabalha no campo

Programa gratuito tem manuais sobre café, horta, plantas medicinais e criação de gado. Aplicativo do Senar traz compilado de cartilhas para quem trabalha no campo O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) lançou um aplicativo de celular que dá acesso a mais de 150 cartilhas para quem trabalha no campo. Os temas abordados pelos manuais são diversos, tem cartilha sobre café, horta, plantas medicinais e criação de gado. Todos disponibilizados de forma gratuita. Acesse aqui o aplicativo ou confira o passo a passo para baixar da loja online do seu dispositivo: Se o seu aparelho utiliza o sistema operacional Android: Pesquise na Play Store por Estante Virtual Coleção Senar; Após localizar o aplicativo, baixe no seu celular; Em seguida, realize o cadastro, criando um login e senha e aí é só começar a usar o aplicativo. Se o seu aparelho utiliza o sistema operacional IOS: Pesquise na Apple Store por Estante Virtual Coleção Senar; Após localizar o aplicativo, baixar para o seu celular; Depois, realize o cadastro, crie login e senha e pode começar a usar o aplicativo. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Estudantes de agronomia recebem bolsas para desenvolver novas técnicas de manejo e nutrição animal

Estudantes participam de reuniões semanais para debater temas da agropecuária e realizam estágios para colocar o conhecimento em prática. Estudantes de agronomia recebem bolsas para desenvolver novas técnicas de manejo e nutrição animal Os alunos de agronomia da Escola Superior de Agricultura Luiz Queiroz, da Universidade de São Paulo (ESALQ - USP) recebem bolsas de iniciação científica para desenvolver novas técnicas de manejo e nutrição animal. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Durante os projetos, os estudantes costumam participar de um estágio não obrigatório. Nele, os alunos enfrentam desafios no dia a dia para se prepararem para o mercado de trabalho. “Tem que se fazer tudo no sistema de produção, você tem que entender de controle de invasoras, controle de pragas, fertilidade de solo, sanidade do animal manejo do pasto, enfim é uma série de informações que precisam ser integradas para que a gente tenha resultado econômico no sistema”, comenta o professor Moacyr Corsi. Além das aulas práticas, uma vez por semana o grupo de estudantes se reúne para discutir artigos científicos e assuntos relacionados a agropecuária, por meio de apresentações. “Tudo que a gente vê aqui, a gente tenta aplicar dentro do nosso estágio. A partir desses debates que a gente decide o que que a gente vai agir, então é bom ouvir opinião de todo mundo para a gente ter um boa ideia sobre tudo", explica a estudante Lívia Benez. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Arábia Saudita suspende compras de carne de frango de 11 empresas brasileiras

País apontou que o produto ultrapassou os limites aceitos de contaminação microbiológica. Arábia Saudita suspende compras de carne de frango de 11 empresas brasileiras A Arábia Saudita suspendeu as compras de carne de frango de 11 dos 20 frigoríficos habilitados para vender o produto ao país nesta semana. A medida ocorreu sem comunicação prévia ao Brasil. Assista a todos os vídeos do Globo Rural A decisão tem validade a partir do próximo dia 23. A principal razão apontada pela Arábia Saudita foi que os produtos exportados pelas empresas suspensas teriam ultrapassado os limites aceitos de contaminação microbiológica. Em nota, o Itamaraty lamentou as suspensões e destacou que a decisão do governo saudita não deu possibilidade de apresentação de defesa técnica pelo Brasil. Além disso, a nota aponta que o país não recebeu quais índices foram ultrapassados e nem qual metodologia adotada na análise. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Clima ajudou cultivo de milho verde no Ceará

Estado está em época de colheita e município de Mauriti deve abastecer várias cidades do Nordeste com mais de 3 milhões de espigas de milho esse ano. Clima ajudou cultivo de milho verde no Ceará É tempo de colheita de milho verde no Ceará e a chuva ajudou o cultivo no estado. Assista a todos os vídeos do Globo Rural "Apesar de não ser um inverno com muita chuva acumulada, mas a chuva que tem caído no nosso solo, nosso solo fértil, está fazendo com que o milho cresça bastante", conta o agricultor João Bosco Sampaio, do município de Mauriti, que tem a sua economia baseada no milho verde. Mesmo com a alta dos insumos, o produtor disse que o negócio ainda é rentável. O milheiro de espigas, que era vendido a R$ 250 em 2020, agora chega a R$ 300. A produção em Mauriti deve abastecer várias cidades do Nordeste com mais de 3 milhões de espigas de milho esse ano. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 16/05/2021

Veja como obter informações das empresas citadas no programa. Veja a reportagem: Empresária cria ginástica com acessórios caseiros e fatura R$ 3 milhões em 2020 Camilão Team Instagram: https://www.instagram.com/camilaoteam/ Facebook: https://www.facebook.com/camilaoteam/ YouTube: https://youtube.com/channel/UC3gFUIM52xV-Tn05qXQ9EPA Veja a reportagem: Veja dicas de criadores de conteúdo para faturar na internet Manual do homem moderno Site: manualdohomemmoderno.com.br Instagram: https://www.instagram.com/blogmhm/ Youpix - consultora Bia Granja Site: www.youpix.com.br E-mail: alo@youpix.com.br Rede social: https://www.instagram.com/instayoupix/ Veja a reportagem: Empresários investem em clube de assinatura voltado para tenistas Clube Winner E-mail: contato@clubewinner.com.br Site: www.clubewinner.com.br Facebook: https://www.facebook.com/clubewinner Instagram: https://www.instagram.com/clube.winner/ Veja a reportagem: Gestão modernizada faz padaria centenária crescer na pandemia Padaria Carillo Rua Demétrio Ribeiro 29 - Mooca São Paulo – SP, CEP 03332-000 Telefone: (11) 2605-4045 Site: www.padariacarillo.com.br E-mail: contato@padariacarillo.com.br Instagram: https://www.instagram.com/padariacarillo/ Facebook: Padaria Carillo Veja a reportagem: Plataforma de viagens consegue driblar crise no setor de turismo Onfly Telefone: (31) 3181-0457 Site: https://www.onfly.com.br/ Linkedin: https://www.linkedin.com/company/onfly/ Cidades: Belo Horizonte e São Paulo I wanna sleep Site: https://www.iwannasleep.com/ Facebook: https://www.facebook.com/iwannasleepbrasil/ Instagram: https://www.instagram.com/i_wanna_sleep/ Veja a reportagem: Rede de picolés customizados aposta em nova experiência de consumo e fatura R$ 6 milhões Kekala Custom Picolé E-mail: expansao@kekala.com.br/ contato@kekala.com.br Site: https://www.kekala.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/kekalaoficial Instagram: https://www.instagram.com/kekalaoficial Veja a reportagem: Startup cria máquina de lavar fones de ouvido sem fio Cardlax Site: https://www.cardlax.net/

Ler Mais
Cheia dos rios na Amazônia traz prejuízo para agricultores e criadores de animais

Prejuízo estimado com a perda da produção na zona rural de Manaus já passa de R$ 1 milhão. Cheia dos rios na Amazônia traz prejuízo para agricultores e criadores de animais As cheias dos rios na Amazônia têm prejudicado criadores de animais e produtores da região. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Apenas o rio Solimões já subiu mais de 16 metros e se aproxima de uma das maiores cheias já vistas, quando o seu nível atingiu 17,43 metros. Por causa do volume, o rio transbordou e a água inundou completamente Careiro da Várzea, na região metropolitana de Manaus, deixando a cidade em estado de emergência, sendo que cerca de 95% do território do município é formado de várzea. Para facilitar o deslocamento dos moradores, foram construídas pontes de madeira na área. Na zona rural, o prejuízo estimado com a perda da produção já passa de R$ 1 milhão. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural

Ler Mais
Rede de picolés customizados aposta em nova experiência de consumo e fatura R$ 6 milhões

Cliente personaliza seu picolé em menos de dois minutos, com opções de 300 combinações possíveis, mudando só o recheio e a cobertura. Rede de picolés customizados aposta em nova experiência de consumo e fatura R$ 6 milhões Uma jovem empreendedora de São Paulo de apenas 22 anos criou uma franquia de picolés customizados e faturou no ano passado R$ 6 milhões com a aposta em uma nova experiência de consumo. Em 2017, Amanda Tonon teve a ideia de criar um picolé com um furo no meio para o cliente escolher o recheio e a cobertura. O investimento inicial foi de R$ 500 mil. Mas conseguir levantar esse dinheiro foi um grande desafio. “Infelizmente eu experimentei na prática o contrário do incentivo ao empreendedor jovem. Eu tive vários nãos, mas graças a Deus isso não me parou. Eu consegui outras fontes de investimento na minha empresa para tirar esse sonho do papel”, conta. A agilidade no atendimento é o grande destaque: o cliente personaliza seu picolé em menos de dois minutos. Ele fica totalmente customizado e o processo é feito na frente do consumidor. Com apenas 4 bases de picolé, o cliente pode ter mais de 300 combinações possíveis, mudando só o recheio e a cobertura. A produção começou terceirizada. Até que Amanda investiu numa fábrica própria, com equipamentos exclusivos e capacidade para fazer 40 mil picolés por dia. “A gente escolheu verticalizar justamente pela questão de garantir a qualidade em todo o processo”, explica. Hoje, são 11 unidades em operação. E a expectativa é encerrar 2021 com 90 pontos de venda. O investimento para se tornar franqueado é a partir de R$ 120 mil. Maria Amélia Carvalho entrou para a rede em março do ano passado, já com o desafio de encarar a pandemia. A rede ofereceu suporte nas negociações com o shopping e criou promoções para movimentar o caixa. E mesmo com a crise, a franqueada se animou e investiu num segundo quiosque. “O cliente fica muito satisfeito quando vê os funcionários montando o picolé, então eles voltam sempre para experimentar novos sabores”, afirma Maria Amélia. Veja a reportagem completa no vídeo acima. Kekala Custom Picolé E-mail: expansao@kekala.com.br/ contato@kekala.com.br Site: https://www.kekala.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/kekalaoficial Instagram: https://www.instagram.com/kekalaoficial

Ler Mais